The Forensic Sciences in the Monarchical Brazil: a Brief History of the officialization and institutionalization of the Forensic Expert in Criminal Investigations

Autores/as

  • Alexandre Giovanelli Instituto de Pesquisa e Perícias em Genética Forense

DOI:

https://doi.org/10.17063/bjfs9(3)y2020394-418

Palabras clave:

Forensic Sciences, Legal Medicine, Forensic expert, Police, Police inquiry, History

Resumen

This article aims to indicate the process of officializing and institutionalizing the performance of forensic experts within the police. We try to analyze how the lapses contained in the laws were filled by the practical action of the forensic experts. This process occurred gradually in the monarchical period and coincided with the scientific development of forensic medicine in Brazil. The official examination of the expertise in the criminal sphere occurred as a response to society's wishes for the establishment of clear rules for criminal prosecution, the attribution of "fair" sentences and the broad possibility of defense by the defendant. However, the institutionalization of the experts' work was hampered by the precarious professionalization of the police during monarchical period. Thus, conflicts were generated between experts and specialists in forensic medicine at universities, in addition to the suspicion of the forensic experts' performance by society.

Citas

Garrido RG, Giovanelli A. Criminalística: origens, evolução e descaminhos. Cadernos de Ciências Sociais Aplicadas. 2006; 5-6: 43-60.

Almeida CM. Código Philippino ou ordenações e leis do Reino de Portugal. 14. ed. Rio de Janeiro: Typographia do Instituto Philomathico; 1870. 1487p.

Britto ACN. 2003. Breves notícias de alguns sucessos inéditos e interessantes da ciência de Zacchias na Bahia, desde 1806 - Parte I. Acesso em: 10 de mar. de 2020 Disponível em: http://www.medicina.ufba.br/historia_med/hist_med_art19.htm

Gomide AG. Impugnação analítica ao exame feito pelos clínicos Antônio Pedro de Sousa e Manuel Quintão da Silva em uma rapariga que julgaram santa na capela da Senhora da Piedade da Serra (1814). Rev. Latinoam. Psicopat. Fund. 2011; 14(2): 346-361.

Fregadolli L. Antecedentes Históricos do Código Criminal de 1830. 1997; 5(20). Disponível em: https://revistas.unipar.br/index.php/akropolis/article/view/1707.

Império do Brasil. Alvará de 10 de maio de 1808. Colleção das Leis do Brazil. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional; 1891. 177p. Acesso em 17 de mar. de 2020. Disponível em https://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/legislacao/republica.

Holloway, TH. Polícia no Rio de Janeiro: Repressão e resistência numa cidade do século XIX. Tradução de Francisco de Castro Azevedo. 1. ed. Fundação Getúlio Vargas editora; 1997. 343p.

Lynch CEC. 2007. O Conceito de Liberalismo no Brasil (1750-1850). Araucaria. Rev. Iberoam. de Filos. Polít. y Hum. 2007; 17: 212-234.

Império do Brasil. Lei de 16 de dezembro de 1830. Manda executar o Código Criminal. Acesso em 12/03/2020. Disponível em https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei_sn/1824-1899.

Império do Brasil. Lei de 29 de novembro de 1832. Promulga o Código do Processo Criminal de primeira instância com disposição provisória acerca da administração da Justiça Civil. Acesso em 12/03/2020. Disponível em https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei_sn/1824-1899.

Coêlho BF. História da Medicina Legal. Fac. Dir. Univ. SP. 2010; 105: 355-362.

Miziara ID, Miziara CSMG, Muñoz D. A institucionalização da Medicina Legal no Brasil. Saúde, Ética & Justiça. 2012;17(2):66-74

Fernandes CR, Guimarães MA, Mata KM, Frajacomo FTT, Demarzo MMP, Garcia SB. A História da Medicina Forense. Braz. Journal of Forensic Sciences, Medical Law and Bioethics. 2011; 1(1): 1-7

Hercules HC. Medicina Legal – texto e atlas. 2. ed. São Paulo: Atheneu; 2008. 800p.

Ferreira LO. João Vicente Torres Homem: Descrição da Carreira Médica no Século. Revista de Saúde Coletiva. 1994; 4(1): 57-78.

Cavalcanti A. Criminalística básica. 3. ed. Porto Alegre: Sagra Luzzatto; 1987. 223p.

Correia JB. 1846. Breves considerações sobre alguns pontos da nossa legislação criminal. [Tese de doutorado] Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro; 1846.

Diário de Saúde. Reforma da Academia Real de Medicina de Paris. 1835; Ed. 22: 175-176. Acesso em 21/03/2020. Disponível em: http://memoria.bn.br/

Diário de Saúde. Primeiro Relatório Annuo sobre o estabelecimento d´ensino practico de medicina legal na Universidade Real de Berlin. 1835; Ed. 25: 195-196. . Acesso em 21/03/2020. Disponível em: http://memoria.bn.br/

Diário de Saúde. Da prova deduzida d´apparencias morbidas em caso de venefício. 1835; Ed. 33: 257-258. Acesso em 21/03/2020. Disponível em: http://memoria.bn.br/

Diário de Saúde. Autopsia do Exmo. Sr. Regente João Braulio Muniz. 1835; Ed. 24(3):184-185. Acesso em 21/03/2020. Disponível em: http://memoria.bn.br/

Pereira das Neves AJ. "Dissertação Médico-Legal acerca do Infanticídio". [Tese de doutorado] Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro; 1839.

Lemos JFS. "Algumas proposições médico-legais sobre a virgindade e o estupro". [Tese de doutorado] Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro; 1849.

Império do Brasil. Decreto de 08 de maio de 1835. Colleção das Leis Império do Brazil. Rio de Janeiro: Typographia Nacional; 1864. 143p. Consultado em 17 de mar. de 2020. Disponível em https://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/legislacao/republica.

Jornal do Commercio. 1836, ed. 118(2): Acesso em 21/03/2020. Disponível em: http://memoria.bn.br/.

Filho MB, Lima H. História da Polícia do Rio de Janeiro. Aspectos da cidade e da vida carioca (1831-1870). Editora A Noite, Rio de Janeiro. 1942; 332 p.

Império do Brasil. Lei nº 261, de 3 de dez. de 1841. Regulamento Reformando o Codigo do Processo Criminal. Acesso em 15/03/2020. Disponível em https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei_sn/1824-1899.

Império do Brasil. Regulamento nº 120, de 31 de jan. de 1842. Regula a execução da parte policial e criminal da Lei nº 261 de 3 de Dezembro de 1841. Acesso em 15/03/2020. Disponível em https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei_sn/1824-1899.

Império do Brasil. Decreto nº 1.569, de 3 de mar. de 1855. Approva o Regimento de custas judiciarias mandado organisar pela Lei n.º 604 de 3 de Julho de 1851. Acesso em 16/03/2020. Disponível em https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei_sn/1824-1899.

Império do Brasil. Decreto nº 708, de 14 de out. de 1850. Regula a execução da Lei que estabelece medidas para a repressão do trafico de Africanos neste Imperio. Acesso em 13/03/2020. Disponível em https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei_sn/1824-1899.

Gomes, H. Medicina Legal. 33. ed. Rio de Janeiro: Freitas Bastos; 2004. 565p.

Sociedade de Medicina do Rio de Janeiro. Dicionário histórico-biográfico das ciências da saúde no Brasil (1832-1930). Casa de Oswaldo Cruz / Fiocruz; 2020. Acesso em 10 abr. de 2020. Disponível em: http://www.dichistoriasaude.coc.fiocruz.br/iah/pt/pdf/socmedrj.pdf.

Império do Brasil. Decreto nº 1.746, de 16 de abr. de 1856. Dá Regulamento para a Secretaria da Policia da Côrte. Acesso em 14/03/2020. Disponível em https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei_sn/1824-1899.

Menezes A. Pequeno roteiro histórico do Instituto Médico-Legal da Guanabara. Revista do Instituto Médico-Legal do Estado da Guanabara. 1970; Ano II, 1(4): 7-10.

Diário do Rio de Janeiro. 1872; Ed. 217(1): 3. Acesso em 21/03/2020. Disponível em: http://memoria.bn.br/.

Diário do Rio de Janeiro. 1873; Ed. 21(1): 2. Acesso em 21/03/2020. Disponível em http://memoria.bn.br/

Império do Brasil. Decreto nº 1.774, de 2 de jul. de 1856. Dá Regulamento para a Casa de detenção estabelecida provisoriamente na Casa de Correção da Côrte. Acesso em 20/03/2020. Disponível em https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei_sn/1824-1899.

Império do Brasil. Decreto nº 1.775, de 2 de jul. de 1856. Dá Regulamento para o serviço de Extinção dos incêndios. Acesso em 21/03/2020. Disponível em https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei_sn/1824-1899.

Império do Brasil. Decreto nº 3.598, de 27 de jan. de 1866. Reorganiza a força policial da Côrte, dividindo-a em dous Corpos, um militar e outro civil. Acesso em 5/03/2020. Disponível em https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei_sn/1824-1899.

Império do Brasil. Decreto nº 3.650, de 18 de mai. de 1866. Approva o regulamento organizado e proposto pelo Chefe de Policia do Municipio da Côrte, em virtude do art. 11 do Decreto nº 3598 de 27 de Janeiro do corrente anno, sobre o serviço dos medicos verificadores dos obitos. Acesso em 5/03/2020. Disponível em https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei_sn/1824-1899.

Império do Brasil. Lei nº 2.033, de 20 de set. de 1871. Altera differentes disposições da Legislação Judiciaria. Acesso em 01/04/2020. Disponível em https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei_sn/1824-1899.

Império do Brasil. Decreto nº 4.824, de 22 de nov. de 1871. Regula a execução da Lei nº 2033 de 24 de Setembro do corrente anno, que alterou differentes disposições da Legislação Judiciaria. Acesso em 01/04/2020. Disponível em https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei_sn/1824-1899.

Filho MB, Lima H. História da Polícia do Rio de Janeiro. Aspectos da cidade e da vida carioca (1870-1889). Editora A Noite, Rio de Janeiro; 1943. 300 p.

A República. 1873; Ed. 578. Acesso em 21/03/2020. Disponível em http://memoria.bn.br/.

Annaes Brasilienses de Medicina (RJ). 1876; Ed. 12: 460-464. Acesso em 21/03/2020. Disponível em http://memoria.bn.br/.

Antunes JLF. Medicina, leis e moral: pensamento médico e comportamento no Brasil (1870-1930). 1. ed. Fundação Editora da Unesp / Fapesp; 1998. 304pp.

Weber, M. Ensaios de sociologia. 5. ed. Rio de Janeiro: LTC Editora; 1982. 530p.

Batitucci EC. A evolução institucional da Polícia no século XIX: Inglaterra, Estados Unidos e Brasil em perspectiva comparada. Rev. Bras. Seg. Púb. 2010; 4(7): 30-47.

Publicado

2020-06-29

Cómo citar

Giovanelli, A. (2020). The Forensic Sciences in the Monarchical Brazil: a Brief History of the officialization and institutionalization of the Forensic Expert in Criminal Investigations. Brazilian Journal of Forensic Sciences, Medical Law and Bioethics, 9(3), 394–418. https://doi.org/10.17063/bjfs9(3)y2020394-418