Escondendo Manchas de Sangue em Locais de Crime: Análise da Ação Antioxidante dos Chás Verde e Preto Sobre o Luminol

Autores/as

  • Douglas Rodrigues Cavalcanti
  • Rodrigo Meneses de Barros

DOI:

https://doi.org/10.17063/bjfs6(1)y201647

Palabras clave:

Luminol, Luminol, Latent bloodstains, Manchas de sangue, Antioxidant, Antioxidante, Black tea, Chá verde, Green tea, Chá preto

Resumen

A aplicação do luminol se destaca como um dos testes presuntivos para sangue mais importantes, sendo amplamente utilizado por investigadores forenses em locais de crime. Ao ser pulverizado sobre uma mancha de sangue, o luminol reage emitindo luz quimiluminescente, permitindo a avaliação ocasional dessas manchas, e possibilitando a reconstrução dos eventos de um crime. Porém, existem diversas substâncias que são capazes de afetar ou alterar a quimiluminescência do luminol induzida pelo sangue, entre essas substâncias estão alimentos e bebidas antioxidantes. Dentre os alimentos funcionais, o chá é uma bebida amplamente utilizada, perdendo apenas para a água como a bebida mais consumida no mundo. As propriedades antioxidantes das catequinas presentes nos chás verde e preto estão relacionadas com sua estrutura química. Produtos alimentares que contém antioxidantes (como o chá verde e o chá preto) podem ser utilizados em atividades criminosas para ocultar manchas de sangue e evitar resultados em exames de cenas de crime, uma vez que atuam inibindo a reação quimiluminescente do luminol, gerando resultados falso-negativos.

Publicado

2016-10-11

Cómo citar

Douglas Rodrigues Cavalcanti, & Rodrigo Meneses de Barros. (2016). Escondendo Manchas de Sangue em Locais de Crime: Análise da Ação Antioxidante dos Chás Verde e Preto Sobre o Luminol. Brazilian Journal of Forensic Sciences, Medical Law and Bioethics, 6(1), 47–60. https://doi.org/10.17063/bjfs6(1)y201647